Episiotomia: a Mutilação Genital Brasileira

 

Hoje em dia, a grande maioria das mulheres brasileiras ainda é submetida a Episiotomia de maneira rotineira durante o trabalho de parto. A seguir, vamos tentar entender um pouco mais a respeito desse procedimento.
Espero que gostem!
A Episiotomia é um procedimento cirúrgico que consiste em fazer uma incisão na pele, gordura e músculo da parturiente, bem na hora em que a cabeça do bebê está nascendo. A Episiotomia geralmente é feita em direção à coxa ou ânus da mulher. Utiliza-se um bisturi para fazer a incisão inicial, e depois aumenta-se essa incisão com uma tesoura cirúrgica.

Tipos de Episiotomia

Durante muitos anos, acreditou-se que a Episiotomia fosse imprescindível para preservar a musculatura perineal da mulher. Hoje já se sabe que não é o caso: pesquisas já apontaram que a Episiotomia não melhora os resultados perinatais, não facilita a cicatrização da área e não preserva a musculatura perineal. Além disso, não existem indicações precisas de quando essa intervenção deveria ser usada. Na verdade, a Episiotomia é uma intervenção desnecessária, que é geralmente feita apenas por hábito do médico.


Após feito o corte na vagina da mulher no momento do nascimento do bebê, é necessário reparar os danos à área. A Episiorrafia é a sutura da Episiotomia. É muito difícil estabelecer o tamanho normal de uma Episiorrafia, já que o tamanho da Episiotomia pode ser bastante variável. Já ouvi relatos de mulheres que levaram mais de 35 pontos na Episiorrafia, apesar da média em geral girar em torno de 10. Isso acontece porque, muitas vezes, os médicos introduzem as mãos na vagina da mulher, e aumentam a Episiotomia manualmente (pele é tecido, quando se faz um cortinho e estica, ela rasga!).

Aumentando manualmente a Episiotomia.

A Episiotomia é, muitas vezes, a parte mais traumatizante do parto. Todas as mulheres, sem excessão, temem passar por isso (algumas mulheres têm tanto medo que preferem optar por fazer uma cesariana só para escapar da Epísio). As que são submetidas ao procedimento muitas vezes relatam sensações extremamente desagradáveis, como a sensação de ter sido abusada ou mutilada. Efetivamente, por não haver indicação precisa e ser feita apenas por costume, a Episiotomia poderia ser considerada uma mutilação genital. Vale a pena precisar que muitas vezes a Episiotomia é feita sem o consentimento da mulher, e às vezes sem aviso prévio nem anestesia, o que faz com que seja um procedimento extremamente violento e doloroso, tanto física quanto psicologicamente.

Sensação de ser abusada e mutilada.

As consequências da Episiotomia a longo prazo são variáveis. Algumas mulheres cicatrizam rapidamente, já outras têm problemas com a Epísio por até anos após o parto. Muitas mulheres relatam sentir muito incômodo na área da Episiorrafia, durante até semanas após o parto. Algumas mulheres relatam perda de sensibilidade na área da Episiorrafia, às vezes permanentemente. Algumas mulheres são tão mutiladas que chegam a precisar de cirurgias reparadoras após uma Episiotomia mal-feita.


Não restam dúvidas de que a Episiotomia é um procedimento obsoleto: não há indicação para seu uso, e seus supostos benefícios não compensam seus riscos. Porém, no Brasil, ainda é um procedimento efetuado de rotina em praticamente 95% das mulheres que têm parto vaginal. Porque isso? Porque a Episiotomia faz parte da ritualística do parto: é um procedimento ritual que dá a ilusão ao profissional de que ele está controlando o que está acontecendo. É apenas uma ilusão, infelizmente: uma Epísio não impede de haver laceração natural, não diminui significativamente o tempo do expulsivo, não impede sequelas na musculatura do assoalho pélvico e ainda acaba aumentando a perda de sangue durante o parto!



A Episiotomia na cena de parto se assemelha a um ritual religioso: feito sempre da mesma maneira, sem questionamento nem modificação, há mais de dois séculos! Já está mais do que na hora de mudar isso! E essa mudança não vai vir da classe médica, acostumada e acomodada com o procedimento - apesar de alguns poucos obstetras, como a Dra Melania Amorim, já terem aposentado a prática. Essa mudança tem que vir de nós, mulheres, as donas da vagina e do parto.


Ninguém vai se preocupar com nossas vaginas no nosso lugar. Nós é que temos que dizer: "Chega!". Nós é que precisamos parar de aceitar qualquer tratamento que nos é dado em nome da medicina e começar a exigir que o atendimento seja feito com base em evidências científicas atuais, e não em crenças do século retrasado. Não dá mais para esperar que outros defendam nossos interesses no nosso lugar. Precisamos nos mobilizar! E o primeiro passo para isso é a denúncia: é preciso expor o que está a acontecendo, é preciso mostrar que isso não será mais aceito, e é preciso exigir que as autoridades competentes façam algo a respeito.

Todo esse movimento começa com a gente. E aí, vai fazer sua parte?

41 comentários:

  1. Nossa Adele ..top a materia..mas fiquei em choque com a cena da episiotomia aumentada manualmente... :O
    o que é aquilo??? Deus me livree...ainda bem que encontrei voces....PD FOREVER...rs bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É chocante mesmo, não é, Day?
      Infelizmente, hoje em dia, o único lugar onde a mulher pode ter certeza absoluta que não será submetida a uma Episiotomia é no Parto Domiciliar. Até mesmo na Casa de Parto ela é praticada em algumas mulheres. Ter o acompanhamento de um profissional reconhecidamente humanizado, que não pratique a episiotomia de rotina, é muito importante. E, sobretudo conversar com o obstetra ao longo do pré-natal e fazer, juntos, um plano de parto que atenda aos desejos do casal, é ESSENCIAL.
      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Estranho mesmo são duas pessoas (estes acima que, se supõe, sejam médicos formados) com tanto preconceito e falta de ética, além de palavreado de baixo calão. Se tem algo que coloque a episiotomia como forma saudável de ajuda no parto, por que simplesmente não colocam um link, um título de livro, uma foto ou um relato válido para corroborar essas frases nojentas de uma forma digna? Que eu jamais precise de pessoas assim (médicos ou não) na minha vida.

      Excluir
  2. E eu encontrei esse blog tarde demais...
    Tive parto normal, fizeram episiotomia e costuraram até direitinho... Nao se notam nem os pontos ou o corte...
    Mas... alguma parte interna da minha vagina ficou mal costurada e... tenho um pedaço de carne sobrando, e meu filho já vai fazer 9 meses, e ainda assim eu não sei mais como é ter relações sexuais com prazer...
    Vou voltar ao meu gineco atual pela 4ª vez para tentar resolver isso e ver se ele acha que vale a pena uma cirurgia de correção... É lógico que este novo médico não é o mesmo que me fez o parto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Carol, sinto muito!
      Quando leio relatos como o seu fico triste e indignada ao mesmo tempo!
      Você já divulgou o seu relato de parto? Isso poderia ajudar outras mulheres a se conscientizarem e lutarem pelo fim da Episiotomia de rotina.
      Você também poderia pedir seu prontuário no hospital onde você teve o seu bebê e analisá-lo, de preferência com a ajuda de alguém que possa te orientar, e assim, se desejar, você pode buscar algum tipo de reparação legal.
      Você pode conseguir ajuda na rede Parto do Princípio (http://www.partodoprincipio.com.br/index.php), ou então aqui: http://www.dadada.com.br/2013/03/12/campanha-tenha-seu-prontuario/.
      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Oi muito desse blog........tive parto normal tbem ,e tive k faze a episio , mais a medica me avizou pois meu bebe nao tava conseguindo sair nao sabiam pk a medica me ajudou colocando a mao dentro de mim e puxando ele tipo (forpis) alguma coisa assim kkkk ,meu parto demoro 11 horas isso depois de estoura abolsa com o tok ,antes disso ja tinha fcado 8 horas com dor ........fiquei das 23 da noite de uma terça ate as 17 da tarde da quarta ........graças adeus meu bebe nasceu bem, quando a medica puxou ele .......disse ( fila da mãe )e umas outras coisas dificies k so medico entendem ai perguntei o k aconteceu ai ela disse ele ta com duas volta do cordao no pescoço e um no .....meu bebe nao chorou demorou pra chora depois de um dia que ele nasceu um pediatra venho ve ele e descobriu k a cravicula dele tinha quebrado na hora do parto ............sofri muito no parto e depois sofri tbem com dor no corte episio levei seis pontos ...e ainda fquei 3 dias internada com febre .....tomando antibiotico pois meu parto foi muito força ...... Adele pk sera que meu bebe se enrolou no cordao e foi por este motivo k ele nao consegui descer? comentei com a conta do meu marido meu nome e michele freires tenho 22 anos meu bebe tem 2 anos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Que relato tenso! Fiquei até sem ar!
      Sinto dizer querida (não sei seu nome), mas você foi vítima de uma má assistência ao parto, e provavelmente de violência obstétrica também.
      O cordão enrolado no pescoço não é um problema no parto, e não impede o bebê de nascer. Quase 40% dos bebês nascem com o cordão enrolado, no pescoço ou em qualquer parte do corpo.
      Podem haver vários motivos pelos quais o seu bebê teve uma lesão no ombro, os principais provavelmente foram:
      1) a posição do parto. Se você estava deitada de barriga para cima, então provavelmente seu bebê teve pouco espaço para fazer sua rotação interna, e isso pode ter feito ele prender o ombro. Quando o bebê fica com o ombro preso, a melhor coisa a fazer é colocar a mulher na posição de quatro, pois assim o espaço da pelve aumenta em até 30%.
      2) a intervenção da médica. Ao puxar a cabeça do seu bebê, a médica forçou ele a nascer mais rápido do que ele nasceria só com você fazendo força. O bebê gira no canal de parto, para conseguir passar por trás do ossinho da pelve, e quando ele é puxado ele não consegue fazer essa rotação direito.
      A melhor coisa a fazer seria pedir seu prontuário no hospital onde você teve o seu bebê e analisar tudo que está escrito lá em detalhes, de preferência com a ajuda de alguém que possa te orientar. Você pode conseguir ajuda na rede Parto do Princípio (http://www.partodoprincipio.com.br/index.php), ou então aqui: http://www.dadada.com.br/2013/03/12/campanha-tenha-seu-prontuario/.
      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Daqui 20 dias pela data prevista será meu parto, primeiro filho, quero normal mas estou com muito medo da episiotomia, medo que um momento esperado com tanta ansiedade, carinho e amor vire um momento de terror. Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Karina! Espero que tenha dado tudo certo no seu parto! Depois conte como foi! Um abraço!

      Excluir
  5. Muito esclarecedor seu relato... Tenho trê filhos e o meu segundo foi parto normal. Segundo a médica ele estava enroscado no cordão, e senti muita dor pela epísio sem anestesia e por ela desenroscá-lo com a mão. Meu filho nasceu com máscara equimótica e não sei quantos pontos levei pois não tinha coragem para olhar.O trauma foi grande e depois de 10 anos optei pela cesariana para o parto do terceiro filho...

    ResponderExcluir
  6. Bom dia , eu moro no Japão e por aqui a episio é muito usada tb, todas as mulheres que eu conheço que teve "pn" aqui teve episio. Meu maior medo, por sorte encontrei uma medica 100% humanizada , a sala de parto da clinica é uma sala de tatame sem intervençoões desnecessarias, ainda não estou gravida mas terei meu parto com ela se for Pn.

    ResponderExcluir
  7. Oi Adele,tive meu primeiro filho com 22 anos na poição verticalizada ,foi super tranquilo,quando tive o segundo um ano e meio depois pasei por uma epísiotomia mal feita,meus pontos ,que foram treze,infeccionaram e eu fiquei com uma rotura interna, problema que foi corrigido no meu terceiro parto dois anos e meio depois com o total horror da médica que me atendeu e viu tudo de errado que haviam feito antes.Só hoje com 51 anos é que vim a
    saber dessa prática pois não tinha conhecimento sobre isso e agradeço pelos esclarecimentos através desse blog pois só assim muitas mulheres poderão exigir seus direitos num momento lindo de trazer um filho ao mundo!

    ResponderExcluir
  8. Agradeço muito pelos comentários, Elaine, Daniane e Anônima!
    A luta contra a violência obstétrica, que inclui todos os procedimentos desnecessários feitos de forma rotineira sem uma explicação adequada e um consentimento realmente informado por parte da gestante é uma batalha cotidiana na maioria dos países, não só no Brasil. Espero que as informações deste post ajudem cada vez mais mulheres a chegarem no dia de seus partos informadas e empoderadas, para que cada vez menos mulheres possam contar histórias como as suas... Fico feliz de saber que ele está fazendo a diferença!
    Beijos a Elaine, Daniane e Anônima.

    ResponderExcluir
  9. Tive um parto normal ha 1ano8meses,fizeram a episio em mim,meu parto foi mto dificil,pois tive bolsa rota,fiquei ainda 10hrs seis delas no soro,ainda assim,nao tinha passagem suficiente,quase morri,os pontos da sutura,se desfizeram,tive uma inflamaçao que me fez ficar mai uma semana no hospital,tomando antibioticos na veia,hj me sinto mutilada,pois o corte nao se fechou,sinto mta dor,e vergonha do meu marido,eele diz que isso nao mudou o que sente por mim,mas me sinto tao mal,tenho vergonha ate da ginecologista.sera que tem como ''concertar''?

    ResponderExcluir
  10. Eu queria saber como posso evitar isso na hora do meu parto?
    Vou ter meu bb em janeiro e até lá quero estar com tudo em mão.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  11. Muito bom seu post! Quero engravidar e tenho lido matérias sobre gravidez. Já havia ouvido falar do "pique" que fazem nas mulheres, mas não sabia que era na maioria das vezes desnecessário. Vou procurar fazer as massagens de períneo e procurar um parto humanizado quando chegar a hora. Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Tive minha pequena em 2010 de parto normal.. Mudei de médico com 36 semanas justo por isso... o meu antigo médico só fazia partos"normais" com anestesia, epísio, e você deitada na cama ligada a milhares de aparelhos. Por milagre achei um médico super atencioso, atende em hospitais (ele era plantonista inclusive) aceitava doulas e super respeitou meus pedidos... acabei tomando anestesia pois não tinha grana pra pagar a doula, estava sozinha com a minha mãe (sou mãe solteira) e já estava em trabalho de parto a umas 12 horas... cansada não aguentei e pedi anestesia, ai sim os médicos entraram no quarto (até então estava somente eu e minha mãe) e mesmo assim na hora de nascer o médico me perguntou em qual posição eu gostaria de ter a minha filha, tive ela sentada na cama devido a anestesia, assim como pedi, as luzes foram reduzidas e eu não tive Epísio Graças a Deus... minha filha nasceu linda e na mesma hora já amamentei por quase 2 horas só então fomos pro quarto ela tomar banho e ser analisada pelo pediatra... Graças a Deus encontrei pessoas que apoiam, talvez se tivesse uma doula teria aguentado mais não sei... Mais sei que minha historia é raridade em hospitais. Levei apenas 2 pontinhos no momento em que ela saiu teve uma leve laceração... só senti um pouco de incomodo nos 2 primeiros dias para ir ao banheiro... Amei a matéria. Não me arrependo de mudar de médico com 36 semanas, e faria quantas vezes mais fosse necessário. Sempre por um parto mais humanizado, e natural. Parabéns pelo blog =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PS: Só tomei anestesia também porque eu pedi.... antes disso ninguém veio sequer perguntar se eu queria, pois já havia pedido a ele... Só quero anestesia se eu pedir... =D

      Excluir
  13. Conheço relatos de mulheres que perderam a função do esfíncter anal e tem que fazer limpeza intestinal todos os dias e em casos que foi necessário cirurgia pra corrigir o anus e até foi obrigada a usar bolsa de colostomia pro resto da vida

    ResponderExcluir
  14. Olá..
    Meu bebe nascerá em maio.
    Estou optando por parto normal, mas tenho medo da Epsio...meu médico é muito humano e está conversando comigo.
    Gostaria de saber se a laceração na vagina ocorre em 100% dos partos...e se a dor é suportável..
    PS: É meu primeiro filho..
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tive minha pequena em outubro do ano passado e levei um corte total de sete pontos na hora só senti ardendo depois fcou dolorido por duas semanas mas foi suportavel pois eu já ñ tinha tanta força pra ajuda lá.tive ela quase sozinha pois o medico tinha ido tomar café as enfermeiras q me cortou pq ñ deu tempo dele chegar quando ele voltou já estava sendo custurada com minha filha no colo isso sim foi lindo.. A isso tudo sem anestesia.tenho 19anos e morro em vitoria da conquista

      Excluir
    2. Camila, episiotomia sem anestesia TEM QUE SER DENUNCIADA! Não há nada que justifique fazer um corte cirúrgico sem anestesia. É violência obstétrica pura, é tortura! Denunce mesmo!

      Excluir
    3. Primeiro que nem em paciente sedado podemos fazer procedimentos sem anestesia, não se encontra em local algum publicado que se deva fazer isso durante o expulsivo. Quanto á Episiotomia, ela precisa ser informada a mulher que será feita e esta tem que concordar com isso. Aplicar uma anestesia é super rápido, dá muito tempo de fazer o procedimento com anestesia, não fazê-la é muita preguiça ou seja negligência do profissional. Mas quer saber o que é pior? É que a Episiotomia nem deveria ser feita na grande maioria dos casos mas é feita rotineiramente por profissionais desatualizados e cheios de empafia com um discurso igual ao seu!

      Excluir
  15. Oi Adele, parabens pela materia, é muito esclarecedora. Estou de 11 semanas e quero que meu parto seja normal e o mais humano possivel. Sei que ja deve ter ouvi mil historias mas algumas pessoas não deixam de dizer que se não fizer o corte vai rasgar de qualquer jeito... Isso é regra?

    ResponderExcluir
  16. Obrigada pelos comentários Jonas e Priscila.
    A laceração não ocorre em todos os partos. Em muitos casos, ocorrem lacerações pequenas e superficiais (algumas nem precisam de sutura), e as lacerações maiores geralmente estão associadas com: fazer força fora da contração, fazer força comprida, seguindo orientação de outra pessoa (puxos dirigidos) e puxar o bebê que está saindo. A meta do parto humanizado é o períneo íntegro, para isso existem massagens e exercícios de preparação perineal a serem feitos antes do parto, e existem técnicas de proteção do períneo durante o parto. No parto humanizado, permite-se que a mulher faça força apenas quando e como sente vontade, e não se puxa o bebê, espera-se que ele saia. Assim, minimizam-se os riscos de lacerações na região.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  17. Estou com um mês de gestação, e queria msm um parto domiciliar na água, mas não sei se terei condições financeiras p pagar o parto, já que planos não cobrem isso. É meu primeiro bebe e estou começando a ficar assustada com isso. Não quero episio, quero um parto humanizado. Acho os partos normais em hospitais muito agressivos também, o povo já vai pegando o bebe e sugando ele todo, isso da episio é uma coisa horrível... queria ser a primeira a pegar meu bebe... meu deus, uma coisa tão natural, e as pessoas intervém tanto, como se o corpo da mulher não fosse preparado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana, onde você mora? Tem Casa de Parto na sua região? Casas de parto são excelentes alternativas, em geral são do SUS, e oferecem a opção do parto na água.
      beijos

      Excluir
  18. Oi,tive meu primeiro e unico parto com 15 anos,fizeram essa terrvel laceracao. Hoje 19 anos depois sofro ploblemas piscicologicos,deformidade em minha vagina,perdi a sensibilidade nesta area.Eh possivel fazer uma cirurgia reparadora? Escrevo este relato com lagrimas,pois ate hoje tenho trauma referente a gravidez.
    Ah,e minha filha nasceu a forceps e tem problema mental de nivel leve.
    Espero que meu relato ajude a outras futuras maes,a nao passar por isso.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  19. A Episiotomia é um procedimento terrível e que na maioria das vezes nem mesmo é necessário.

    O ideal é que não seja realizado, mas caso isso já tenha acontecido as mulheres devem saber que suas consequências para a vida sexual, dispareunia (dor na relação sexual) e insensibilidade podem ser tratadas e curadas através da terapia tântrica.

    No meu blog eu escrevi um artigo falando sobre a episiotomia e como a massagem tântrica pode ajudar.

    Espero que gostem.

    http://www.premvirentantra.com/2014/03/19/episiotomia-e-suas-consequ%C3%AAncias-para-a-vida-sexual-da-mulher/

    ResponderExcluir
  20. Ola boa noite... tive meu bb a dois dias. .. foi um parto demorado e muito sofrido com episiotomia... ja estou em casa mas nao aguento mais de tanta dor... dor horrível. .. ja nao sei mais o q fazer... to chorando de dor aqui, ate no respirar ao puxar o ar... poderia me dar algum conselho o que devo fzer para aliviar isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sheila,
      Geralmente, para aliviar o desconforto da Epísio, se usa gelo e spray de Andolba (antisséptico com anestésico). Você pode embeber um absorvente com chá de camomila, colocar no freezer ate ficar geladinho e aplicar na região, em geral alivia bastante.
      Eu te aconselho também a fazer uma denúncia. Episiotomia é um procedimento desnecessário, que causa um monte de efeitos colaterais e desconfortos, e tá mais do que na hora dos médicos pararem de fazer. Mas eles só vão parar de fazer quando as mulheres passarem a reagir de maneira consistente. Tem que denunciar!

      Excluir
  21. Adele, estou grávida do meu segundo filho. Tive uma cesariana do primeiro, mas pretendo ter um parto normal do segundo.Li aqui em Brasília que existe uma casa de parto em São sebastião.Vc conhece, pode me falar alguma coisa? O HMIB tb faz partos humanizados, pode me falar alguma coisa sobre o hospital? Eu possuo plano de saúde, porém não encontro lugar que faça parto humanizado.

    ResponderExcluir
  22. Gostaria de saber, quanto custa em média o serviço da doula.

    ResponderExcluir
  23. Acho complicado também criar o tal "bicho de sete cabeças". Meus dois filhos nasceram de parto normal, Meu médico achou necessário fazer esse procedimento, no meu caso episiotomia transversal, e correu tudo bem, não senti absolutamente nada e posteriormente foi tudo tranquilo, sem dores, sem cicatrizes horríveis ou qualquer alteração nas funções urinárias ou intestinais. O parto é mesmo um acontecimento que envolve muitas incertezas e emoções e não creio que seja muito salutar criar especulações e fantasmas desnecessários. O importante é, se possível, ter um ótimo obstetra, confiar nele e ter fé de que tudo dará certo. E dará! Abçs

    ResponderExcluir
  24. Eu tenho 34 anos e minha mãe reclama até hoje que sente o local da episio - que foi feita sem aviso pelo obstetra. Ele simplesmente fez e estourou a bolsa pra me acelerar.

    Minha mãe diz que ficou 15 dias sentando de lado, ou ficando deitada porque não aguentava o local da incisão. E até hoje ela sente o desconforto porque o último ponto, onde ficou uma cicatriz, inflama a ponto de ela ter que colocar iodo para aliviar.

    Se mesmo depois de mais de 30 anos ela ainda sente, só posso imaginar a violência que foi esse parto.

    ResponderExcluir
  25. a pessoa que não quer se identificar com certeza nem deu um google básico pra descobrir que o idiota que inventou o procedimento da episiotomia "supôs" de uma hora para outra que as mulheres do seu país eram mignons-baixinhas-pequenas demais para passar um bebê de 3 kilos e pouco, então "achou" naquele dia que podia introduzir este procedimento e mal sabia o sujeito que seria idolatrado por décadas e décadas a fio como uma "grande inovador" nos partos, nossa! "grande salvador" que fez muitas mulheres perderem a sensibilidade, terem desconfortos sexuais pela vida toda, e por mais que TODOS tenham se esforçado em copiar direitinho o tal sujeito, e apreenderam todos também a fazer as benditas costurinhas com ou sem anestesia, o que importa né gente? tá rasgada mesmo! quem rasgada? só uma mulher, só uma PESSOA. Então, eles aprenderam direitinho a costurar a merda feita, porque a lógica é a seguinte: UMA LESÃO PARA EVITAR OUTRA LESÃO. HAHAHAHAHAHA...podem rir, mulherada! homarada! pode rir!!! ah não consegue rir? acreditou tudinho no tal sujeito inovador? é sabido que m bebê nascido sem este corte nasce ou sem fazer nenhuma laceração, ou com alguma laceração natural, geralmente muito pequena e NENHUMA perto dos centímetros previamente calculados na régua-mágica-do-sujeito-de-um-outro-país-e-outro-tempo. Então. O fato é que ATÉ HOJE ninguém questionou a pertinência e ATUALIDADE de tal procedimento: será que isto importa no meu país? na minha cultura/ faz sentido pro meu corpo? porque talvez então vc concorde com a mutilação do clitóris em algumas culturas que AINDA A PRATICAM, apesar de haver uma ONU ali, uma OMS acolá, tipo dane-se tudo, VIVA A CULTURA! VIVA A CIVILIZAÇÃO INVENTADA POR DOENTES DO SÉCULO PASSADO! VIVa sobretudo nossa capacidade de não questionarmos na-da disso, e continuar a achar que o camarada foi realmente o maior inventor do século. Bom, após todo este bendito sanguenozóio, só posso repetir que não tive nenhum arrombamento feito por tais sujeitos que decoraram um procedimento, no meu último parto , e assim não ganhei de grátis-incluso-no-pacote um corte horrível em meu santo lugar sagrado do prazer e da vida, MEU SEXO ABENÇOADO que pariu sem horrores, sem abusos, livre, sem pânico, nem medo. Muito axé e amor pra vc, UNKNOWN!!! talvez vc não goste também tanto assim da sua vagina e ache que algumas mulheres, incuindo vc própria, "merecem" ser cortadas, manipuladas, arrombadas, mesmo quando o bebê está prometendo laceração nenhuma. (já vi isso mais de 10 vezes com bebês de 4 kilos!!!!) Se vc merece, não pregue o mesmo para outras que ainda preferem VIVER e saber-aprender sobre isto tudo de maneira definitiva da hora de um parto realmente respeitoso. beijinho lúcido, com informações e ácido!

    ResponderExcluir
  26. Isso que vc faz eh lindo Adèle! Parabéns!

    Ramon K.

    ResponderExcluir
  27. Já que a desconhecida nos chamou de "querida", deixa aproveitar pra completar. QUERIDA, vc esqueceu de dizer que Adéle está inventando tudo isso e que a OMS na qual TAMBÉM estão pautados seus conhecimentos, também está inventando sobre a des-necessidade da episio!!!. Realmente! Ah, num parto PD as intercorrências são todas calculadas, com profissionalismo e tempo. TO-DOS os PD são realizados com menos de 10 min de distância de um centro cirúrgico próximo, ABSOLUTAMENTE TO-DOS possuem um hospital de back-up. Mas você deve preferir achar que as obstetrizes formadas estão lá "inventando" coisas e saberes também, não é? e lógico, que seus diplomas são falsos. E que aqui em sp, por exemplo, quando são certificadas pelo COREN, vc deve achar que é um orgão burro do governo, sem nenhum respaldo científico, que autoriza estas bárbaras cometerem barbaridades. UM parto domiciliar tem o mesmo risco que qualquer parto em qualquer centro cirúrgico, de 5%. Mas isso também é mentira. Quantos mentirosos, não? em que mundo de "invenções" vc vive, não é querida? Ano que vem, a Defensoria Pública do estado de São Paulo vai conseguir junto ao Ministério da Saúde ministrar oficinas de esclarecimento sobre VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA tanto em UBS quanto em outros órgãos do estado. Eu mesma fui voluntária este ano, e ministrei 2 oficinas. Nela, nós explicamos a importância de fazer e protocolar o plano de parto, além de esclarecer o que é violência obstétrica e quais procedimentos se configuram como tal. (sim porque logo-logo este tipo de violência- que já se enquadra atualmente como TORTURA no nosso código penal, logo mais será TAMBÉM tipificado em lei e com PENA específica). A EPISIO É UM DELES. Um procedimento (clássico!) de Violência Obstétrica. Mas Dilma, OMS, ADÉLE, eu, e muitas outras mulheres aqui são mentirosas. Estamos inventando o tempo todo. HAHAHAHA....#beijinho lúcido pro seu mundo sem riso e sem informação!

    ResponderExcluir
  28. só podemos EM VÃO denunciar, pq prevenir ja é algo impossivel!!

    ResponderExcluir
  29. Boa Noite!
    Tive um desses partos humanizados, agradeço pela minha filha ter vindo de forma natural, mas repudio esses profissionais mal preparados que o nosso governo contrata.
    Devido a falta de informação destes eu me predispus a todo trabalho pré- parto possivel...
    Não me fizeram episeo acabei tendo lacerações frontais vaginais, destruindo o lado esquerdo do meu clitoris e meu grande labio esquerdo...não sei o que pior o episio ou essas lacerações q eles nos permitem sofrer ...
    Agradeço por estar sendo lida esta msg, pois estou em depressão por isto, o que me ajuda a cada dia é ter certeza que minha filha recem nata precisa muito de mim...
    estou aberta a contato
    cr.professora@gmail.com

    ResponderExcluir
  30. A 3 mesea ganhei nenem e tiveram qie me cortar pois nao tinha passagem so que na hora de me costurar foi mo demora a doutora falo que estava fazendo uns pontos diferentes e tinha um medico com ela ensinando uma forma la que eles falaram . So que depois da cicatrizacao percebi que eles so fecharam por dentro e deu uns ponto por fora que acho que nao fexo nao sei oque aconteceu so sei que esta aberto por fora e eu nao sei oque faco ainda nem tive relacoes com medo ne . Oque eu faaco ? Tem que pagar pra dar pontos novamennte ?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ATENÇÃO!

ATENÇÃO!